Dez Mandamentos é estar bem com Deus

Em primeiro lugar, é necessário falar um pouco mais sobre o que são os Dez Mandamentos e o porquê do assunto ser tão relevante na Bíblia. É importante ressaltar que ao decorrer do texto você não só saberá quais são eles, mas também na relação com Deus com os outros. Ou seja, uma aplicação prática deles.

Os Dez Mandamentos — também chamado de Decálogo — são dez leis dadas à nação israelita logo após o que se chama de “êxodo do Egito”. Para que o povo tivesse uma vida mais feliz e mais próspera, saudável com relação a Deus e ao próximo, era necessário obedecer estritamente ao Decálogo.

Após ler essa Mensagem,aproveite e leia também:

Os ímpios serão condenados à morte eterna
O que Deus faz, ninguém pode desfazer
O Filho de Deus está sempre vivo

Em Êxodo 20, Deus deu ao povo tais mandamentos. Sem citar literalmente o texto, podemos elencar aqui quais eram eles.

Dez Mandamentos

Os Dez Mandamentos precisam de aplicações práticas, tanto na nossa comunhão com Deus, quanto no amor ao próximo.

Os dez mandamentos

  • Não ter outros Deuses;
  • Não fazer imagens para adoração;
  • Não tomar o nome do teu Deus em vão;
  • Lembrar do Sábado;
  • Honrar teu pai e tua mãe;
  • Não matar;
  • Não adulterar;
  • Não furtar;
  • Não dizer falso testemunho;
  • Não cobiçar.

Os Dez Mandamentos, segundo a Bíblia e as tradições, foram dados por Deus diretamente a Moisés no monte Sinai. Em Êxodo 20:1-17 encontramos a primeira aparição do Decálogo nas escrituras.

Já em Deuteronômio 5:5-21, há um tipo de reafirmação de tais mandamentos, após Moisés ter estado com Deus no Monte Horebe.

O que muitos não sabem é que o povo de Israel, ao decorrer de sua história, não possuía tão-somente acesso ao Decálogo, porém este era um resumo de outros 600 mandamentos contidos na Lei veterotestamentária.

Os Dez Mandamentos na relação com Deus com os outros

Não é difícil perceber que existe uma divisão clara e específica no Decálogo. Parte dele trata do sujeito e sua ligação com Deus, e a outra parte dos Dez Mandamentos trata de sua relação com o próximo.

Alguns estudiosos, para facilitação desse entendimento, utilizam os termos “horizontal” e “vertical”, na divisão dos quatro primeiros mandamentos e os seis restantes.

Se uma pessoa estende seu braço para o lado, estando alguém próximo, é capaz de atingi-la. Mas se estende o braço para o céu, certamente não corre esse risco.

É exatamente essa distinção que se procura fazer no que diz respeito aos Dez Mandamentos: alguns deles, se não respeitados, ofendem diretamente a Deus, otros, ao próximo.

Compreender os Dez Mandamentos na relação com Deus com os outros é de suma importância.

Relacionamento com Deus

Não ter outros Deus é o primeiro dos mandamentos. Proíbe veementemente qualquer adoração a outros deuses. E esse mandamento está consoante ao segundo, que se trata de não fazer imagens para adoração.

A verdade revelada inúmeras vezes pelas escrituras é que Deus é o único merecedor de glória.

Sendo Deus supremo e sendo ele o Todo-Poderoso, não se pode chamá-lo por qualquer motivo. Chamar o nome de Deus em vão é ferir diretamente o terceiro dos mandamentos.

Já o quarto é um mandamento que implica separar o dia de sábado ao Senhor. Aqui há muitas discussões e polêmicas, mas sem querer tomar partido, é impossível negar que separar um momento ao Criador é importante e essencial a uma boa vida.

Esses mandamentos se relacionam diretamente a Deus. Os outros seis restantes, ao próximo.

Relacionamento com o próximo

Há quem tenha dúvidas de que honrar pai e mãe é um ato de amor, gratidão e de suma responsabilidade? É claro que há casos e casos, mas esse é um princípio fundamental de uma boa vida.

assassinato a outro ser humano, o adultério e o furto são reprovados nos próximos mandamentos, e não é necessário ser especialista em Antigo Testamento para entender o porquê.

Por fim, jamais proferir um falso testemunho contra alguém. Nunca acusá-lo de algo que não fez.

Lições do Decálogo

Os Dez Mandamentos não estão ultrapassados. Possuem lições valiosíssimas ainda nos dias de hoje, e infelizmente muitos ainda não entenderam sua importância.

Estar bem e correto diante dos Dez Mandamentos é estar bem com Deus e, não somente isso, mas com o próximo.